09/12/2021

Aline e Ariadne chegam para jogar a Superliga B por São Caetano

Foto por: Osvaldo F./Contrapé

As jogadoras vieram de Chapecó, Santa Catarina, para a disputa da competição que terá início no dia 21 de janeiro de 2022 reunindo dez equipes

Fonte: Assessoria de Imprensa - Heleni Felippe

São Caetano – O trabalho de preparação da Energis 8 São Caetano para a Superliga B, que terá início no dia 21 de janeiro de 2022, segue sob o comando do treinador Fernando Gomes e o time terá as jogadoras Aline Mossmann e Ariadne Santos, vindas de Chapecó, Santa Catarina.

Aline é ponta e tem 26 anos. “São Caetano é um time muito tradicional na Superliga e apesar de não estar na Superliga A o meu objetivo é jogar em São Paulo, jogar por São Caetano. Eu já conhecia o Fernando há algum tempo, falei com o meu treinador e não pensei duas vezes”, comenta Aline, que começou no vôlei aos 10 anos, em Blumenau (SC), está em Chapecó desde 2016, e foi campeã da Superliga B em 2020 por Maringá.

Ariadne Cristine Ramos Santos é oposta, tem 1,80 m e 20 anos. “Eu queria experimentar um estilo de jogo diferente, ter uma oportunidade de trabalhar em outro lugar e sei que o Fernando é um técnico muito bom. Eu queria vivenciar um novo caminho”, fala Ariadne, nascida em Sorriso, Mato Grosso, que tem títulos desde as categorias de base – foi campeã brasileira de seleções sub-17 e integrou a seleção brasileira sub-20.

As atletas já se integraram aos treinamentos da equipe no ginásio do Lauro Gomes, em São Caetano, e enxergam a Superliga B por São Caetano como uma importante vitrine – o campeonato, que será em turno único, com quatro qualificados para a semifinal em melhor-de-três, e final em jogo único terá cerca de 80 dias de duração, até abril.

Viemos, eu e a Aline, para trabalhar e ajudar o clube”, observa Ariadne que começou a jogar vôlei em Nova Mutum, em Mato Grosso, aos 11 anos, antes de seguir para Brusque, em 2014, e após cinco anos para Chapecó. É fã da Gabi Guimarães, da Natalia, da Fernanda Garay. “O Brasil tem um vôlei feminino muito bom.”

"A Aline é uma jogadora adulta que no ano passado disputou e venceu a Superliga B e traz sua experiência. A Ariadne é uma jovem que vem colaborar no setor ofensivo", afirma o treinador Fernando Gomes, do Energis 8 São Caetano.

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) ainda confirmará a tabela da Superliga B, mas a Energis 8 São Caetano terá adversários fortes como Bradesco, Franca, São Carlos e Sesi, de São Paulo, Blumenau e Brusque, de Santa Catarina, Flamengo, do Rio, Minas Náutico e Sada, de Minas Gerais.

São Caetano tem o patrocínio de Energis 8 Brasil e da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul. A Apetece é a fornecedora oficial de alimentação.

Siga a equipe em www.facebook.com/voleiscoficial e www.instagram.com/saocaetanovolei.

Assessoria de Imprensa - Contrapé Informação e Comunicação - Heleni Felippe (MTB 13.507), e-mail: helenicontrape@gmail.com, (11) 99142 2951.

São Caetano – O trabalho de preparação da Energis 8 São Caetano para a Superliga B, que terá início no dia 21 de janeiro de 2022, segue sob o comando do treinador Fernando Gomes e o time terá as jogadoras Aline Mossmann e Ariadne Santos, vindas de Chapecó, Santa Catarina.

Aline é ponta e tem 26 anos. “São Caetano é um time muito tradicional na Superliga e apesar de não estar na Superliga A o meu objetivo é jogar em São Paulo, jogar por São Caetano. Eu já conhecia o Fernando há algum tempo, falei com o meu treinador e não pensei duas vezes”, comenta Aline, que começou no vôlei aos 10 anos, em Blumenau (SC), está em Chapecó desde 2016, e foi campeã da Superliga B em 2020 por Maringá.

Ariadne Cristine Ramos Santos é oposta, tem 1,80 m e 20 anos. “Eu queria experimentar um estilo de jogo diferente, ter uma oportunidade de trabalhar em outro lugar e sei que o Fernando é um técnico muito bom. Eu queria vivenciar um novo caminho”, fala Ariadne, nascida em Sorriso, Mato Grosso, que tem títulos desde as categorias de base – foi campeã brasileira de seleções sub-17 e integrou a seleção brasileira sub-20.

As atletas já se integraram aos treinamentos da equipe no ginásio do Lauro Gomes, em São Caetano, e enxergam a Superliga B por São Caetano como uma importante vitrine – o campeonato, que será em turno único, com quatro qualificados para a semifinal em melhor-de-três, e final em jogo único terá cerca de 80 dias de duração, até abril.

Viemos, eu e a Aline, para trabalhar e ajudar o clube”, observa Ariadne que começou a jogar vôlei em Nova Mutum, em Mato Grosso, aos 11 anos, antes de seguir para Brusque, em 2014, e após cinco anos para Chapecó. É fã da Gabi Guimarães, da Natalia, da Fernanda Garay. “O Brasil tem um vôlei feminino muito bom.”

"A Aline é uma jogadora adulta que no ano passado disputou e venceu a Superliga B e traz sua experiência. A Ariadne é uma jovem que vem colaborar no setor ofensivo", afirma o treinador Fernando Gomes, do Energis 8 São Caetano.

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) ainda confirmará a tabela da Superliga B, mas a Energis 8 São Caetano terá adversários fortes como Bradesco, Franca, São Carlos e Sesi, de São Paulo, Blumenau e Brusque, de Santa Catarina, Flamengo, do Rio, Minas Náutico e Sada, de Minas Gerais.

São Caetano tem o patrocínio de Energis 8 Brasil e da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul. A Apetece é a fornecedora oficial de alimentação.

Siga a equipe em www.facebook.com/voleiscoficial e www.instagram.com/saocaetanovolei.